Vozes
Silenciadas

Conheça a pesquisa que analisou a cobertura da mídia sobre o derramamento de petróleo na costa brasileira

O vazamento de petróleo
nas páginas de
jornais impressos

O Globo

Primeira vez que noticiou 23/10/2019
Conteúdos, entre matérias e reportagens 16
01

Manchete de capa

Folha de S. Paulo

Primeira vez que noticiou 23/10/2019
Conteúdos, entre matérias e reportagens 45
14

Manchetes de capa

O Estado de S. Paulo

Primeira vez que noticiou 03/10/2019
Conteúdos, entre matérias e reportagens 31
07

Manchetes de capa

O Globo

Fontes, dados estatísticos e legislações

Nas 16 matérias e reportagens do jornal O Globo sobre o vazamento de petróleo no litoral brasileiro aqui analisadas, houve referência a 97 atores sociais ouvidos em aspas diretas ou por meio de notas;

Desses, 62 eram órgãos e representantes públicos; 21 eram pesquisadores/especialistas; 8 eram representantes do setor empresarial; 3 eram de organizações da sociedade civil; 2 eram de povos e comunidades tradicionais; e 1 era morador, voluntário ou turista;

Muitos dados estatísticos foram utilizados nas matérias menos curtas e reportagens, sobretudo em infográficos, informando área atingida pelo petróleo, detalhes sobre imagens de satélites das manchas e estimativas sobre animais atingidos, pessoas infectadas e extensão do desastre ambiental;

No tocante a legislações, a cobertura foi pouco aprofundada. Apenas o PNC foi citado com muitas menções e algum aprofundamento. Somente dois decretos foram mencionados nas coberturas: o Decreto nº 9.759/2019, que revogou os colegiados considerados “supérfluos” pelo governo federal, de acordo com o jornal; e o “Decreto de 2013”, que instituiu o PNC, mas sem detalhamento.

Diversidade de Fontes em %

  • 64 Orgaos e representantes publicos

  • 22 Pesquisadores e especialistas

  • 8 Setor empresarial

  • 3 Organizacoes da sociedade civil

  • 2 Comunidades tradicionais pesqueiras ou outros PCTs

  • 1 Morador voluntario ou turista

Folha de S. Paulo

Fontes, dados estatísticos e legislações

Das 41 edições da Folha de São Paulo que compreendem o período selecionado para a pesquisa, o tema do vazamento de petróleo no litoral brasileiro esteve presente em 17 dias. Foram publicados 55 conteúdos, sendo 13 reportagens, 32 matérias, 3 editoriais, 2 notas, 4 artigos de opinião e 1 crônica;

Nos 55 conteúdos publicados no período analisado, houve 17 casos entre matérias e reportagens que apresentaram divergência explícita entre fontes;

No conjunto do material, 197 fontes foram utilizadas, sendo: 130 órgãos ou representantes públicos; 16 pesquisadores/as e especialistas; 20 do setor empresarial; 11 de comunidades tradicionais pesqueiras ou outros PCTs ; 11 moradores/as, voluntários ou turistas; e 9 de organizações da sociedade civil;

Dos 55 conteúdos veiculados pela Folha de S. Paulo, em 16 houve referência ou pautas desenvolvidas a partir de balanços, dados e pesquisas;

Das 17 edições, nas quais foram veiculados esses 55 conteúdos, em 10 houve referência ou pautas desenvolvidas a partir de balanços, dados e pesquisas. Desses dados/levantamentos/pesquisas, 12 foram de órgãos públicos (2 do Ministério da Agricultura; 1 da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos; 1 da Secretaria de Saúde de Pernambuco; 2 do Ibama; 1 da Marinha; 1 do Centro de Hidrografia da Marinha; 1 do Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira; 3 da Petrobras); 11 foram de instituições federais/estaduais de pesquisa e ensino (1 da USP; 5 da Ufba; 2 da UFRJ; 1 do Aquário Marinho do Rio de Janeiro; 1 da UFPE; 1 do ITEP); 1 foi de uma instituição especializada (Associação para o Desenvolvimento Sustentável da Praia dos Carneiros); e 1 foi de empresas (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes);

Dos 26 órgãos e representantes públicos, os mais citados foram, em ordem decrescente: Ibama (15 vezes); Marinha (14 vezes); governo federal (12 vezes), Petrobras e Ministério do Meio Ambiente (com 4 citações cada um);

Dos 55 conteúdos veiculados pela Folha de S. Paulo, em 6 houve menção ao Plano Nacional de Contingência (PNC) - Lei Nº 9.966/2000, que dispõe sobre a prevenção, o controle e a fiscalização da poluição causada por lançamento de óleo em águas sob jurisdição nacional. Apesar de não ser lei, registram-se duas menções à medida provisória que ampliou o seguro defeso. Assim, das 17 edições da Folha de S. Paulo que tinham conteúdos referentes ao crime ambiental, em 5 houve menção a legislações.

Diversidade de Fontes em %

  • 71 Orgaos e representantes publicos

  • 9 Pesquisadores e especialistas

  • 5 Setor empresarial

  • 5 Organizacoes da sociedade civil

  • 5 Comunidades tradicionais pesqueiras ou outros PCTs

  • 3 Morador voluntario ou turista

O Estado de S. Paulo

Fontes, dados estatísticos e legislações

Nos 31 conteúdos publicados pelo Estadão (excluído aqui o editorial), 87 fontes foram entrevistadas, sendo, por quantidade de aparições, 35 órgãos e representantes públicos federais e estaduais, 18 pesquisadores/as e especialistas e 15 voluntários;

Em todo o período analisado, o Estadão mencionou algum estudo ou pesquisa em dez matérias/reportagens. Além de ser uma quantidade insuficiente, se considerada a relevância do fato do vazamento para o país, chama a atenção a concentração dos dados em informações sobre: origem do óleo/navios suspeitos (4); áreas atingidas (3); impactos em animais marinhos (3). No que diz respeito à autoria dos estudos: seis foram realizados por órgãos públicos (três pelo Ibama; dois pela Petrobras; e um por Ibama, Marinha e Agência Nacional do Petróleo); e quatro por universidades (um pela UFRJ, um pela Ufal, um pela Ufba e um pela UFPE);

No tocante às legislações, as referências aparecem em quantidade ainda inferior. Foram citados, apenas em uma edição cada: o Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo em Águas sob Jurisdição Nacional (PNC); a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar; o Plano de Ação Nacional; e o Código Florestal.

Diversidade de Fontes em %

  • 40 Orgaos e representantes publicos

  • 20 Pesquisadores e especialistas

  • 20 Setor empresarial

  • 7 Organizacoes da sociedade civil

  • 5 Comunidades tradicionais pesqueiras ou outros PCTs

  • 3 Morador voluntario ou turista

  • 2 Outros

Diário do Nordeste

Primeira vez que noticiou 25/09/2019
Conteúdos, entre matérias e reportagens 18

Jornal do Commercio

Primeira vez que noticiou 04/09/2019
Conteúdos, entre matérias e reportagens 45

A Tarde

Primeira vez que noticiou 27/09/2019
Conteúdos, entre matérias e reportagens 54

O Estado do Maranhão

Primeira vez que noticiou 24/09/2019
Conteúdos, entre matérias e reportagens 32
01

Manchete de capa

10

Manchetes de capa

09

Manchetes de capa

02

Manchetes de capa

Diário do Nordeste

Fontes, dados estatísticos e legislações

A partir da análise do Diário do Nordeste no período selecionado para a pesquisa, o tema do vazamento de petróleo no litoral brasileiro esteve presente em 18 conteúdos.

Nas 18 matérias ou reportagens, 65 fontes foram entrevistadas e há apenas uma menção a legislação ou tratado de que o Brasil é signatário: mais especificamente, ao Artigo 54 da Lei de Crimes Ambientais (nº 9.605/98);

Das 65 fontes entrevistadas, e considerando as repetições: 26 eram órgãos ou representantes públicos; 11 eram pesquisadores/as e especialistas; 6 eram do setor empresarial; 6 eram de comunidades tradicionais pesqueiras ou outros PCTs; 6 eram moradores, voluntários ou turistas; 5 eram da sociedade civil; 5 foram classificados na categoria “outros” (ONU, vendedora de coco, jornal O Globo, bugueiro e guia turístico);

Nas 18 matérias ou reportagens, em apenas um caso há divergência explícita entre fontes: na matéria “Barreiras à tragédia”, o Ibama não concede entrevista, mas é registrado que o site do Instituto questiona a eficácia do uso de barreiras de proteção para prevenir o avanço do óleo em rios.

Diversidade de Fontes em %

  • 36 Orgaos e representantes publicos

  • 15 Pesquisadores e especialistas

  • 10 Setor empresarial

  • 10 Organizacoes da sociedade civil

  • 10 Comunidades tradicionais pesqueiras ou outros PCTs

  • 9 Morador voluntario ou turista

  • 9 Outros

Jornal do Commercio

Fontes, dados estatísticos e legislações

A partir da análise do Jornal do Commercio no período selecionado para a pesquisa, o tema do vazamento de petróleo no litoral brasileiro esteve presente em 45 conteúdos.

Nas 45 matérias ou reportagens, 235 fontes foram entrevistadas;

Em alguns textos, faz-se menção à legislação ou a tratado de que o Brasil é signatário, a saber: a Lei nº 9.605/1988, que pune condutas lesivas ao meio ambiente, mesmo que seja estrangeiro; a Lei nº 12.608/2012, que institui a Política Nacional de Proteção e Defesa Civil; a Lei nº 9.966/2000, sobre a prevenção, o controle e a fiscalização da poluição causada por lançamento de óleo; e o decreto que garante o pagamento de seguro-desemprego a pescadores de áreas atingidas com o derramamento no litoral do Nordeste;

Das 235 fontes entrevistadas, considerando as repetições: 107 eram órgãos ou representantes públicos, 40 eram pesquisadores/as e especialistas, 28 eram do setor empresarial, 23 eram moradores/as, voluntários/as ou turistas, 9 eram de organizações da sociedade civil, 7 eram de comunidades tradicionais pesqueiras e 21 foram classificadas na categoria “outros” (incluindo ambulantes, pessoas que trabalham com passeios de barco, mergulhadores, pequenos comerciantes, cliente de peixaria, donos de peixaria, peixeiros e a Organização dos Estados Americanos).

Diversidade de Fontes em %

  • 45 Orgaos e representantes publicos

  • 17 Pesquisadores e especialistas

  • 12 Setor empresarial

  • 10 Organizacoes da sociedade civil

  • 9 Comunidades tradicionais pesqueiras ou outros PCTs

  • 4 Morador voluntario ou turista

  • 3 Outros

A Tarde

Fontes, dados estatísticos e legislações

A partir da análise de A Tarde no período selecionado para a pesquisa, o tema do vazamento de petróleo no litoral brasileiro esteve presente em 54 conteúdos.

Nas 54 matérias ou reportagens, 217 fontes foram entrevistadas e há apenas uma menção à legislação ou tratado de que o Brasil é signatário;

Das 217 fontes entrevistadas, considerando as repetições: 123 eram órgãos ou representantes públicos, 28 eram pesquisadores/as e especialistas, 12 eram do setor empresarial, 12 eram de comunidades tradicionais pesqueiras ou outros PCTs, 7 eram de organizações da sociedade civil, 21 eram moradores/as, voluntários/as ou turistas, 14 foram classificadas na categoria “outros” (dentre as quais: baiana que produz acarajé, barraqueiro, peixeiro, dona de imóveis, corretora de imóveis, artista de rua, artesã).

Diversidade de Fontes em %

  • 40 Orgaos e representantes publicos

  • 20 Pesquisadores e especialistas

  • 20 Setor empresarial

  • 7 Organizacoes da sociedade civil

  • 5 Comunidades tradicionais pesqueiras ou outros PCTs

  • 3 Morador voluntario ou turista

  • 2 Outros

O Estado do Maranhão

Fontes, dados estatísticos e legislações

Na análise de O Estado do Maranhão, no período selecionado para a pesquisa, o tema do vazamento de petróleo no litoral brasileiro esteve presente em 32 conteúdos.

Nas 32 matérias ou reportagens, 109 fontes foram entrevistadas;

Das 109 fontes entrevistadas, considerando as repetições: 90 eram órgãos ou representantes públicos, 15 eram pesquisadores/as e especialistas, 1 era do setor empresarial, nenhuma era de comunidades tradicionais pesqueiras ou outros PCTs, 2 eram moradores ou turistas, nenhuma era da sociedade civil e 1 foi classificada na categoria “outros” (G1);

No Corpus analisado são citadas as seguintes normas legais: a Portaria nº 1.522, do Ibama, de 19 de dezembro de 1989, que dispõe sobre a Lista Oficial de Espécies da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção; a Instrução Normativa nº 31, do Ministério do Meio Ambiente, de 13 de dezembro de 2004, que determina a obrigatoriedade do uso de dispositivos de escape de tartarugas (TED-Turtle Excluder Device) nas embarcações utilizadas na pesca de arrasto de camarões; a Instrução Normativa nº 21, do Ibama, de 30 de março de 2004, que proíbe a pesca do camarão (outra espécie protegida) entre o norte da Bahia e a divisa de Alagoas e Pernambuco no período de 15 de dezembro a 15 de janeiro de cada ano; a Lei de Crimes Ambientais nº 9.605/1988; e a Medida Provisória nº 908/2019, do governo federal.

Diversidade de Fontes em %

  • 83 Orgaos e representantes publicos

  • 14 Pesquisadores e especialistas

  • 1 Setor empresarial

  • 2 Morador voluntario ou turista

  • 1 Outros

initial image

O vazamento de petróleo nas páginas de jornais impressos

initial image

O vazamento de petróleo nos noticiários televisivos

initial image

A mídia pública e o vazamento de petróleo: análise da Agência Brasil